quarta-feira, 17 de outubro de 2012

Cenas Incorretas



Todos que atuam em empresas já presenciaram cenas que detestariam ver novamente. Discussões ríspidas entre funcionários, entre chefe e colaborador ou mesmo entre gerentes de duas áreas. Mas por que as discussões existem no meio corporativo, ou melhor, quando um debate onde todos deviam estar procurando o melhor caminho para a resolução de um determinado problema vira discussão?

Uma empresa, principalmente na última década, é vista por seus integrantes como um ser vivo, pensante e que não tem dono. Devido às mudanças societárias e aberturas de capital que aconteceram nos últimos anos, não existe mais a figura do dono e por consequência o que seria o melhor para a empresa é o que o dono manda. É óbvio que todas elas têm seu presidente, que dá as diretrizes de planejamento, aplicação de recursos, etc... mas este também é passível de todas as regras que um simples colaborador é obrigado a seguir e assim, também se torna vítima das confusões políticas que hoje as empresas são vítimas.

Um presidente não pode entrar em uma sala aos berros, mandando fazer isso ou aquilo, não só pela etiqueta da boa educação mas também pela preocupação que existe quanto ao assédio moral. Mas empresas tem que dar lucro. 

A priori, quando você leitor, presencia uma discussão entre dois gerentes em uma reunião,  os dois estão buscando o melhor para a empresa. De certa forma, isso é provocado propositalmente pelos escalões mais altos. Caso contrário, estariam diretores se debatendo em salas de reunião e de forma muito acalorada. Como não existe mais o "eu mando e você obedece" de outros tempos, esta foi a forma que as empresas encontraram de que o problema só aconteça embaixo e as soluções cheguem de forma mais calma aos primeiros escalões. 

Como em uma guerra, os mais fracos morrem pelo caminho. Aqueles que não entendem esse "jogo", essa nova forma de negociação, acaba por perecer devido ao seu inconformismo e agressividade. Portanto, jovens que estão em fase de aprendizado ou que foram galgados a cargos gerenciais recentemente, devem observar até onde vale a pena o incorformismo e a agressividade e sempre levando em conta que a empresa espera crescimento e lucro. E sempre com um bom ambiente de trabalho, que fica muito prejudicado quando de uma discussão acalorada. Por mais que se esteja certo, o ideal sempre é respirar fundo e no mínimo deixar o outro divergir de você e, caso não se chegue a bom termo, levar o problema a uma instância superior. 

Lembre-se sempre que tudo foi propositalmente colocado para você.

Abraços a todos!
RSS/Feed: Receba automaticamente todas os artigos deste blog.
Clique aqui para assinar nosso feed. O serviço é totalmente gratuito.

2 comentários:

DIVULGANDO CR disse...

Excelente colocação, de quem raciocina! Onde existe um senhor e um escravo ambos saem prejudicados. O senhor por inibir o outro, como se fosse superior (todos somos irmãos) deixando de aprender com seu subordinado o que precisa para engrandecimento da empresa. O escravo, por admitir a submissão, deixa de ser um colaborador de fato para o engrandecimento da empresa. Enfim, ambos prejudicam a empresa. E este raciocínio se aplica em todas as atividades da vida. PARABÉNS e gratíssimos pela postagem! Meu abraço Amigo!

Raffaell Garone disse...

Duvido que seja de direita, pois tem pessoas que se dizem de direita e na verdade são de esquerda e assim vice-versa, só da para descobrir isso quando a pessoa faz o teste: http://www.diagramadenolan.com.br conforme o resultado sabemos se a pessoa é de direita ou esquerda.

Postar um comentário

  ©Antropomidia | Licença Creative Commons 3.0 | Template exclusivo Dicas Blogger