terça-feira, 2 de outubro de 2012

A culpa pelo fiasco em 2014


Não estou falando da organização. Nem das obras. Isto também pode vir a ser um fiasco, mas pelo que vejo ainda dá tempo de organizar bem. Estou falando de futebol mesmo, jogado. O Brasil vai fracassar em 2014 e nem chegará à final. Estou torcendo contra? Não. Mas vamos dizer que a favor também  não estou, como a maioria das pessoas mais esclarecidas deste país. Sou do tempo em que quando havia jogo da seleção o Brasil parava, "hoje tem show" dizíamos (mais ou menos até a Copa de 1986).



Os melhores analistas políticos dizem que a chance de tirar uma conclusão errada é enorme se você não observar o contexto e estudar uma informação sem ele. Pois bem, o contexto está aí, para todos analisarem. A informação é que o Brasil está em 12º lugar no ranking geral da FIFA. Bem atrás de Espanha, Alemanha e até Portugal. A versão, para quem quer ficar bem com todos os interesses que giram ao redor da seleção é que estamos em uma entressafra de craques e bons jogadores para a seleção. Estou falando daqueles apresentadores, comentaristas, blogueiros esportivos e ex-jogadores que não olham o contexto, ou pior, por algum motivo que desconheço evitam colocar a boca no trombone de vez. 

Uma entressafra de craques não explica o fato de a seleção estar jogando de forma pífia. Assim como também não se justifica a incompetência do técnico. Sem dúvidas ele é, mas vamos nos atentar para o contexto e analisar friamente se a culpa é só de sua incompetência. Vejam só:

- Daniel Alves é lateral direito titular do Barcelona, um dos melhores times do mundo, assim como Marcelo  é titular da lateral esquerda do Real Madrid;

- Thiago Silva é um dos melhores zagueiros do mundo, segundo a crônica esportiva mundial, titular no Paris Saint German;

- Oscar, David Luiz e Ramirez jogam e são titulares no Chelsea , atual campeão da UEFA Champions League;

- Paulinho é titular no campeão da Libertadores 2012, o Corinthians;

-  Hulk ou Leandro Damião são titulares em qualquer equipe que jogarem, aliás Hulk foi vendido recentemente ao Zenit na maior transação do ano;

- Neymar é craque, ganhou o prêmio Puskas da Fifa;

Tudo bem, não temos um goleiro do nível de São Marcos ou Dida em sua melhor fase. Nenhum em situação semelhante aos citados acima. Mas temos dez craques que rapidamente citei acima, não existe entressafra de craques. 

Existe entressafra de filosofia, planejamento e inteligência. O melhor time do Brasil hoje, sem dúvidas, é o Corinthians (Não torço pelo clube). Esse time foi campeão brasileiro e da libertadores e pode vir a ser campeão mundial de clubes. O que esse time tem a ver com o contexto do futebol brasileiro? Nada.

Sua diretoria, de forma brilhante implantou uma filosofia no clube, montou um grupo de jogadores, planejou-se colocando metas, dando infra estrutura para os jogadores e com inteligência seu técnico implantou a filosofia e planejamento nos jogos.  Se compararmos esse clube com os maiores da Europa não fica devendo nada. 

Agora perguntem-se, qual a filosofia da seleção brasileira atual? Em nossas conquistas de maior valor tivemos filosofia de ataque e futebol arte nos 3 primeiros títulos e nas outras 2 copas uma filosofia mais de defesa e conjunto. Hoje não há. Quando a diretoria da CBF não modifica o calendário, que poderia ser adaptado ao calendário Europeu, já que 90% dos craques está por lá, marca amistosos contra seleções sem expressão, em datas espalhadas pelo calendário, mostra sua total falta de planejamento perante grandes seleções do mundo. E o técnico, que concorda com tudo isso, vai implantar que filosofia e planejamento na seleção?

Falar com saudosismo que não temos mais craques como Pelé, Garrincha, Tostão, Rivelino, Zico, entre outros, como desculpa para estar em 12º no ranking é de uma falta de visão total, pois sem filosofia e planejamento não existiriam as conquistas. Aqueles times de 58,62,70,94 e 02 não foram "catadões" que seus técnicos jogaram em campo e com sua genialidade somente resolveram os jogos. Tanto que em momentos de falta de filosofia e planejamento perdemos 66, 74, 78 (por exemplo) com os mesmos craques ou outros de igual tamanho.

Assim como com Dunga em 2010, a seleção de 2014 chegará à copa de forma favorita, e decepcionará seus torcedores. Daí caberá à imprensa de maneira geral encontrar os culpados para o fracasso, assim como um Felipe Melo ou Júlio César na copa anterior. Dar nomes aos culpados hoje significa um título chamativo nos sites, audiência, cliques e dinheiro. E não se iludam com os últimos bastiões da honestidade, estes são os mais perigosos.

Abraços a todos!

RSS/Feed: Receba automaticamente todas os artigos deste blog.
Clique aqui para assinar nosso feed. O serviço é totalmente gratuito.

0 comentários:

Postar um comentário

  ©Antropomidia | Licença Creative Commons 3.0 | Template exclusivo Dicas Blogger