sábado, 12 de maio de 2012

Ciclista Na Contramão Pode?


Em primeiro lugar quero me desculpar com os leitores do blog, afinal são quase três meses sem postar. Por problemas pessoais faltou-me inspiração e tempo para me dedicar a este espaço que tantos de vocês pediram para que continue existindo, o que agradeço aqui de coração. Sim, foi apenas um hiato e vamos em frente.


Hoje observei uma cena típica dos grandes centros, um pai e um filho pequeno andando com suas bicicletas em meu bairro. O que me chamou muito à atenção foi o fato de que os dois trafegavam pela contramão de uma rua de mão única. Parei o carro e perguntei ao pai se ele não tinha medo de que seu filho fosse atropelado andando desta forma e ele , de forma muito simpática e até quase rindo da situação, me disse que é assim mesmo que os ciclistas se comportam pois deste jeito você vê os carros que estão em sua direção e não corre riscos.

Tenho 45 anos e confesso que não sou usuário deste meio de transporte, admiro quem gosta e se esforça para deixar o carro em casa, colaborando com a diminuição da poluição e com um trânsito menos caótico. Mas, assim como em um condomínio, nossa sociedade se organiza através de leis e códigos, para que todos possam ao menos tentar viver de forma coordenada respeitando o direito do outro. Me espanta um ciclista ou vários deles criarem um determinado código que não está no papel e em seu discurso defenderem que continuará assim.  Reflita o que acontecerá se motoristas de carros começarem a inventar seus próprios códigos.

Por outro lado, vejo que essa "tática" de andar na contramão vem da preocupação de que um cliclista não conseguiria se defender de um veículo que venha por trás em alta velocidade. Preocupação válida, mas qual a diferença entre uma bicicleta e uma motocicleta? Por que as motocicletas não começaram a andar na contra-mão também para se defender? Simples, elas têm o espelho retrovisor. E este é um adereço que não vejo nas "bikes".

Não sei se todos sabem, mas até o início dos anos 90 o espelho retrovisor no lado direito dos carros não era obrigatório. E hoje é, porque identificou-se que diversos motoristas faziam conversões para o lado direito ser ter a devida visão de quem poderia estar a seu lado. Fica a minha pergunta, do por que as bicicletas não são obrigadas a ter espelho retrovisor, afinal, se os ciclistas desejam que seus veículos tenham o devido espaço, seus veículos devem ser equipados para que seus usuários tenham segurança. Ou fica feio colocar o espelho?

De qualquer forma, esta é uma briga que tende a se acentuar, e é claro que os motoristas de carros e motos têm a obrigação de respeitar os ciclistas e dar espaço para que andem pelas ruas das cidades. Isto é mais do que óbvio, criar ciclo faixas e punir motoristas que não as respeitam, acabar com a alta ansiedade de motoristas que desejam ultrapassar uma bicileta a qualquer custo, entre dezenas de medidas que nossos governantes devem tomar. 

É uma questão de educação e de regulamentação. Nossos gestores das cidades devem redobrar a atenção a códigos que são criados por conveniência, e regulamentar de vez a utilização deste meio de transporte, pois ver uma criança andando na contramão de uma rua dá a sensação de que o pior ainda está por vir. Espelho retrovisor obrigatório para bicicletas pode ser a primeira medida.

Abraços a todos!
RSS/Feed: Receba automaticamente todas os artigos deste blog.
Clique aqui para assinar nosso feed. O serviço é totalmente gratuito.

4 comentários:

Nágea Luiza Batista disse...

Parabéns pelo artigo, que chama à atenção nossa para o desequilíbrio do ser humano que quer sempre inventar algo novo, fora do determinado e, se assim o faz, é pela vaidade de querer se destacar dentre os demais, criando e inovando, indiferente se essa criação ou inovação vai prejudicar alguém ou alguma coisa. Esquecem que ninguém é melhor do que ninguém.E, assim é que a humanidade sempre andou na contramão da Natureza e, conseqüentemente, na contramão de DEUS. Daí, os desastres de toda sorte, morais, físicos e financeiros, pois, na contramão de QUEM PODE, todos perdem o poder de si mesmos, desequilibram-se,por viver completamente desconhecidos de si mesmos. Sim, pois quem não dá crédito à Natureza, não dá crédito a DEUS, vive por conta do nada e no nada se transforma, pois, na Natureza nada se cria, nada se perde, tudo se transforma de uma vida para outra e de uma forma para outra, sempre em classes mais inferiores, porque este mundo em que vivemos é um mundo transitório, negativo, por estar fora do seu estado natural. E qual o seu natural? Tudo isso passamos a conhecer na Cultura Racional, trazida de um mundo superior (a origem), desconhecido da humanidade. Os desequilíbrios como esses dos ciclistas só irão aumentar enquanto todos viverem sem se conhecer, sem saber, QUEM SOMOS, DE ONDE VIEMOS E PARA ONDE VAMOS. Essa Fase Racional já está na Terra. A Natureza mudou de fase, da civilização, fase do pensamento concreto, para a fase do desenvolvimento do raciocínio, o "EU" verdadeiro de todos, tal como um "HD" de DEUS dentro de nós, na glândula pineal, e estamos agora na fase de desenvolvê-lo para ter toda a sabedoria divina verdadeira, cada qual se desenvolvendo em sua casa, para nos ligarmos em vida à eternidade e colocarmos fim definitivo no nosso sofrimento. Tudo que a fase do pensamento nos ensinou foi apenas uma preparação para a fase atual do desenvolvimento do raciocínio. Então, o pensamento já deu o que tinha que dar, não dá mais nada e ninguém mais acerta com o pensamento, é só chuva de pau em cima dos pensadores, para acordarem para a nova fase da natureza e procurarem se certificar da Cultura Racional, nos Livros ditados pelo Mundo Supremo aqui no Brasil, Universo em Desencanto. Todos precisam conhecer estes Livros para terem com quem contar e onde se agarrar, porque a liquidação do pensamento está levando à liquidação e falência tudo, até as criaturas humanas. Liquidação moral, física e financeira, porque ninguém encontra mais solução no pensamento, porque o pensamento faliu e não dá mais nada pra ninguém é só mesmo uma chuva de pau nos pensadores, como aí estão no mundo as provas e comprovações disto. Leiam os Livros Universo em Desencanto, em suas próprias casas, que é a complementação de tudo que conhecemos, para nos resgatar o equilíbrio perdido. E é cada qual na sua casa,não tem que ir a lugar algum, pois, cultura é a própria pessoa que adquire com conhecimento puro da vida e colocando-o em prática. O resto é mesmo MISTIFICAÇÃO. Gratíssima pela oportunidade desta explicação. Grande abraço!

Nágea Luiza Batista disse...

AGRADEÇO, DE CORAÇÃO, TER POSTADO O MEU COMENTÁRIO. SE JÁ LHE ADMIRAVA, AGORA AINDA MAIS. PRECISAMOS DE MUITA GENTE COMO VOCÊ NO MUNDO. QUE A MÃE NATUREZA E QUE NOSSO BONDOSO DEUS LHE ABENÇOE E A TODOS QUE LHE SÃO CAROS. INFELIZMENTE EXISTEM POUCAS PESSOAS SÉRIAS COMO SUA PESSOA. SE JÁ RECOMENDAVA, AGORA, MUITO MAIS, IREI RECOMENDAR SEU SITE PARA TODAS AS PESSOAS DAS MINHAS RELAÇÕES. QUE TUDO DE BOM E DE MELHOR CUBRA TODOS OS SEUS DIAS ETERNAMENTE! MEU AFETUOSO ABRAÇO! GRATÍSSIMA!

Anônimo disse...

Primeiramente, Parabéns pela iniciativa e pelo site.
E, muito boa e oportuna a resenha, e o comentário que é bem amplo, quase ufanista; mas bem concatenado com a situação (de alguns caos) atual e interessante.
Continue(m).
Abs.

Carlos Viana - Santo Amaro -SP.

Anônimo disse...

Cheguei aqui pelo simples motivo de que hoje bati o carro em um ciclista que trafegava pela contramão e virou a esquina em alta velocidade. Ele se defendeu? Não. Se ele estivesse na mão correta, talvez eu o tivesse defendido dele mesmo.

Postar um comentário

  ©Antropomidia | Licença Creative Commons 3.0 | Template exclusivo Dicas Blogger