terça-feira, 31 de janeiro de 2012

Planejamento para a Inovação - Onde Começar



Bem, se estamos falando de planejamento para a inovação, todos da empresa devem participar. Essa consciência deve partir dos mais altos escalões da empresa e ser em um primeiro momento dividido com o corpo gerencial da empresa. Para tanto, já neste momento deve existir um alinhamento de objetivos. 

É preciso cuidado com premissas. Elas devem nortear as pessoas no processo e não limitá-las, afinal se as projeções numéricas já nascem pré-definidas pelos altos escalões elas limitam a inovação e inibem o comprometimento de todos. Nem o presidente e sua diretoria ou os donos de uma empresa querem crescer menos ou ter lucros menores que em anos anteriores, mas o que se observa em geral é uma preocupação muito grande com o curto prazo e para que certos projetos inovadores dêem resultado por vezes necessita-se de mais tempo.

Antes que qualquer um que leia este artigo me crucifique dizendo que para quem está de fora é fácil falar, já que o mundo é dinâmico, custos sobem todos os dias e a concorrência aperta o passo também, peço que me responda qual das duas frases abaixo ele prefere:

- Um lucro 20% maior que o ano anterior no primeiro ano, repetindo-se nos 2 anos subseqüentes (Um crescimento acumulado de 72,8% em 3 anos);
- Um lucro 5% maior que o ano anterior, um lucro 30 % maior no ano seguinte e um lucro 65% maior no anos subseqüente (Um crescimento acumulado de 125,2 % em 3 anos);

Exemplificando, se o lucro da empresa foi de R$ 100 milhões, na primeira proposta o lucro da empresa dali a três anos será R$ 172,8 milhões e na segunda proposta o lucro será R$ 225,2 milhões. Mantendo -se o ritmo da primeira proposta, o patamar da segunda proposta somente será atingido cerca de um ano e meio depois. Assim, a preocupação com o lucro a curto prazo pode ser um fator que retarda o crescimento de uma empresa, principalmente se a concorrência estiver inovando.

Portanto, até que as propostas retornem de todas as áreas da empresa, as premissas devem ser de certa forma generalistas e com um prazo maior, por pelo menos três anos. As planilhas a serem preenchidas devem estar preparadas e já demonstrando ao usuário projeções. Devemos partir da premissa que nenhuma área quer jogar contra a empresa e desta forma as próprias áreas que estiverem fazendo suas projeções vão enxergar que necessitam de projetos inovadores para crescer e agregar valor à empresa.

Nem começamos ainda e já existe muito trabalho. Executar um planejamento para muitos é um serviço braçal, mas não é, é um momento de reflexão que deve ser conduzido e ensinado. Para tanto, existem ainda dois outros alertas que são importantes neste momento. O processo deve iniciar-se no máximo no meio do ano anterior, pois é preciso dar tempo às áreas para que as reflexões sejam feitas. Outro alerta é o processo de comunicação, afinal quem não sabe o que, por que e para que está fazendo algo na maior parte das vezes jogará um monte de números em uma planilha. 

Sobre as reflexões e o processo de comunicação interna (Endomarketing) falaremos no próximo artigo.

Abraços a todos!
RSS/Feed: Receba automaticamente todas os artigos deste blog.
Clique aqui para assinar nosso feed. O serviço é totalmente gratuito.

0 comentários:

Postar um comentário

  ©Antropomidia | Licença Creative Commons 3.0 | Template exclusivo Dicas Blogger