terça-feira, 8 de novembro de 2011

Como o marketing faz nascer ou morrer um esporte


Hoje morreu o único homem que derrubou Cassius Clay (ou Mohamed Ali, nome que adotou depois de se tornar muçulmano). Joe Frazier o "Smoking Joe". Dos anos 70 onde os dois reinaram até os anos 80 e início dos anos 90 onde Mike "Iron" Tyson foi o ídolo maior, os eventos do mundo do boxe eram apaixonantes, atraindo multidões, onde cada luta premiava o vencedor com alguns milhões de dólares. Lutas de Tyson chegaram a dar mais de 40 pontos de audiência para a Rede Globo no Brasil. A produção dos filmes abaixo não foi por mero acaso.



Impressionante como nos últimos dez anos o boxe perdeu atratividade para o público. Em minha opinião isso aconteceu por dois motivos. A ausência de novos ídolos, que se explica pelo total desprezo pela base de atletas e, principalmente, pelo alto investimento em retornos de ídolos antigos, como Holyfield, James "Buster" Douglas e até do próprio Tyson. Uma verdadeira "overdose" de revanches e mais revanches. A falta de habilidade dos promotores destes eventos em lidar com a mídia se provou com a decadência e baixa atratividade para as redes de televisão.

Com isso, os anunciantes e patrocinadores, que em busca do lucro imediato pressionavam por revanches e mais revanches, foram tirando o lado atrativo do esporte para o grande público. Ver dois gordos enfrentando-se já não era mais o que este público queria.

Como em toda falência, ficou um espaço nesta audiência para o Vale Tudo, o MMA (Mixed Marcial Arts ou Artes Marciais Mixadas) onde cada lutador pode se utilizar de qualquer golpe advindo de qualquer arte marcial. O marketing em torno deste esporte hoje é enorme, por mais que os competidores saiam do tal octógono cheios de sangue e quebrados o que se observa é o aumento do brilho dos olhos da platéia e os índices de audiência atingirem picos. A ponto da Rede Globo correr para comprar o próximo campeonato, pois em etapa deste ano no Rio de Janeiro perdeu em audiência para a Rede TV.

Estes são exemplos de como o que parece que nunca vai acabar por vezes acaba. E do que parece que nunca fará sucesso se o marketing quiser arrebenta. A Fórmula 1 que abra o olho, a ausência de ídolos e concorrência diminui o interesse. Por mais que hoje não pareça, pode virar um outro esporte qualquer, menos corrida de pilotos. Já não agrega tanto em emoção, é simplesmente o melhor carro contra o resto. Baniram o ótimo dinheiro das empresas de cigarro, os testes, daqui a pouco são os pilotos.

Abraços a todos!
RSS/Feed: Receba automaticamente todas os artigos deste blog.
Clique aqui para assinar nosso feed. O serviço é totalmente gratuito.

15 comentários:

Deny Moore disse...

Querido, Luis!

Sensacional o seu texto, acertou mais uma vez!
Milhões de pessoas assistem a algo na TV e, no dia seguinte, já estão aderindo a algo que assistiram (moda, personagens, vocabulário). A mídia é forte e manipula, o que chamam de “Quarto Poder”, deveria ser chamado de “Primeiro” pois atua no inconsciente de toda uma nação. O poder de manipulação da mídia pode atuar como uma espécie de controle social. Tudo é premeditado! Eu que já trabalhei em veículo de comunicação, sei como funciona. Infelizmente, Nossa inteligência é visivelmente menosprezada.

Beijos

Deny Moore

Carlos Rommell disse...

Joe Frazier é uma lenda - http://bit.ly/jQFnjx

Luiz disse...

@Denny Moore
Não é porque os poderes Executivo, Legislativo e Judiciário são chamados de 3 poderes porque um tem mais importância ou poder que outro, é um tripé que estabiliza a Democracia. Dizer que a mídia, o suposto "4º poder", deveria ser o "1º poder" só mostra o quanto você é leiga nesse assunto.

Anônimo disse...

Um dos principai problemas do boxe é que ele se tornou previsivo, uma vez que se tem um arsenal limitado de golpes.
ao contrário do MMA que contem um arsenal gigantesco de golpes, fazendo com que cada luta seja nova e interessante, pois cada luta combina atletas com diferentes especialidades em diferents lutas, gerando assim infinitas possibilidades de sequencias de golpes e ação quase o tempo todo.
pratico boxe e percebo o quanto ele é limitado, o proximo movimento será um soco, a unica variavel e de que lado. enquanto o mma é completamente imprevisivel, pois o proximo golpe pode ser um soco, um chute, uma entrada de quecda, um clinch, um finalização, ou um golpe nunca antes visto!

Anônimo disse...

Eu treino MMA e faço Publicidade e Propaganda, gosto do esporte desde muito novo e gosto de boxe também, mas chega a ser chato ver pessoas comentando sobre as lutas ou lutadores mais famosos como Anderson Silva, existem muitos lutadores melhores ou tao bons quanto o Anderson, sem menospreza-lo claro, mas só porque a midia coloca ele como grande nome as pessoas acabam tendo uma visão distorcida do esporte e dos atletas. A Midia suga o esporte e deixa ele totalmente diferente do que era antigamente só pra empurrar ele para as pessoas e gerar dinheiro, é lamentavel.

Tsunami disse...

Otimo Post

Divulgue o seu Blog no Tsunami de Links e receba um Tsunami de visitas.

http://tsunamidelinks.blogspot.com/

Anônimo disse...

Excelente texto. Apesar de toda essa "maracutaia" por trás, é incrível como o povão engole fácil esses novos modismos.

Anônimo disse...

Muito bom você falar o nome correto: Cassius Clay e não aquele bobagem de nome que ele adotou. Virou muçulmano para poder posar de bonzinho e rebelde sem causa, já que ganhava milhões de dolares.

Anônimo disse...

Artes Marciais Mistas e não Mixadas...

Anônimo disse...

o boxe perdeu força em alguns paises, como Brasil. Mas em muitos países latinos, o boxe ainda é uma potencia, que arrasta multidões.
Hoje existem alguns grandes lutadores, ou alguem aqui nunca ouviu falar do Manny Pacquiao, Floyd Mayweather Jr, Ortiz, etc ???

Anônimo disse...

Otimo Post!

Anônimo disse...

vejo muitas materias em blog e raramente deixo um comentario por falta de tempo msm. mas esse nao pude deixar de faze-lo pela grandeza de sua observacao. Parabens!

Ramon disse...

Muito bom o seu artigo parabéns

Marcelo Ferreira disse...

Só uma correção, a Globo não correu e comprou o UFC depois do evento no Rio. A transmissão do UFC já era da Globo, que o transimitia em seu canal pago a SPORTV. O que ocorreu na verdade foi uma venda do evento para a REDETV. O que a Globo fez foi testar o evento em rede nacional observando como a REDETV iria se sair. E como a resposta do publico foi alta ela decidiu começar a transmitir as lutas tbm no canal aberto.

Anônimo disse...

Post bem escrito.

No MMA, temos a explosão populacional, vinda da geração anterior, que o denominava Vale Tudo.
Sou dessa época. Acompanho esportes de contato em geral, e acredito que a nova que o MMa trouxe foi profissionalismo, pq ele é carente de filosofia, não é arte marcial e sequer obedece hierarquia...Logo cederá o espaço mereçido a Nobre Arte, a Arte Suave( Jiu ) e a Arte Livre ( Muay Thai ), pois são estilos híbridos e os mais eficazes em suas áreas de combate.
MMA voltará a ser Vale Tudo...

Postar um comentário

  ©Antropomidia | Licença Creative Commons 3.0 | Template exclusivo Dicas Blogger