quinta-feira, 31 de março de 2011

Meu primeiro emprego - Episódio 1


Uma boa parte do público brasileiro vem se acostumando a uma figura que os meios corporativos e acadêmicos já era conhecida há algum tempo: Max Gehringer. Max nos últimos anos é visto pelo grande público administrando conflitos em reuniões de condomínio. Sem dúvida, além de ser um dos 100 melhores palestrantes sobre vida corporativa do país, Max é um gênio das relações interpessoais e conhece muito mais do que conflitos.


Talvez por essa razão, a Rede Globo resolveu mudar um pouco seus quadros no programa “Fantástico” e lançou o quadro “Primeiro Emprego”. No quadro, Max se propõe a orientar jovens em busca da primeira colocação, passando por entrevistas, dinâmicas e experiências de comportamento.



O quadro tem tudo para ser, (principalmente para aqueles que não têm pais executivos e que podem ter esta orientação em casa) uma grande fonte de informações e orientações contra erros que candidatos e funcionários cometem em seus primeiros anos de experiência profissional.


Vamos acompanhar estes programas com algum senso crítico, e tentar acrescentar alguma interpretação das situações criadas. Neste primeiro programa, 4 candidatos participaram de uma dinâmica de grupo para contratação de um funcionário. São eles Fábio – engenheiro ambiental, Gabriela – publicitária, Diego – engenheiro e Maila – técnica em química. Essa dinâmica é dividida em duas fases.


A primeira, mais simples, é uma prova de escolha entre fotografias, como os candidatos se vêem nelas. As escolhas revelam valores dos candidatos e por onde a empresa de recrutamento verificará se esses valores são coerentes com os valores da empresa em questão. Não adianta contratar um funcionário que tem como principais valores família, filhos, etc e o desejo da empresa ser um candidato que se dedique totalmente, 16 horas por dia, 7 dias por semana. Provavelmente, os dois ficarão infelizes.


A segunda parte da dinâmica contém um exercício empresarial, construir um hotel ecológico. Foram formados 2 grupos e o desempenho dos 4 candidatos foi analisado dentro dos mesmos. Liderança, trabalho em equipe e conhecimento técnico foram as qualidades observadas em cada um. Fábio chamou à atenção por sua liderança, mas é centralizador e não divide os louros do trabalho na apresentação. Diego foi inseguro e Maila sofreu com a apresentação. Gabriela foi chamada à atenção por chegar com uma hora de atraso.


Acredito que é um bom programa e orienta bem os jovens, mas comete o erro de todo “Aprendiz” que existe – Enfatiza muito os defeitos dos candidatos, ou seja, o exemplo dado é o do que não se deve fazer. Acho que seria muito interessante exemplificar para a jovem audiência as coisas boas dos candidatos e observei várias, como a desenvoltura da Gabriela, o conhecimento técnico da Maila, a postura do Fábio e a simpatia de Diego. Dependendo do que estivesse procurando poderiam ser fatores que me fariam contratar um deles. Se existe um jovem iniciante assistindo ao programa e se identifica com defeitos que os participantes manifestam ele pode corrigir mas ao identificar-se também com qualidades, esse jovem pode valorizar essas características em seus processos e aumentando sua auto-estima.


Vamos continuar acompanhando, no próximo programa os quatro candidatos vão estagiar por um mês em quatro empresas diferentes, Fábio vai trabalhar em uma empresa de engenharia, Gabriela em uma empresa de publicidade, Diego na empresa que administra o trem do corcovado e Maila em uma empresa farmacêutica .


Abraços a todos!

RSS/Feed: Receba automaticamente todas os artigos deste blog.
Clique aqui para assinar nosso feed. O serviço é totalmente gratuito.

0 comentários:

Postar um comentário

  ©Antropomidia | Licença Creative Commons 3.0 | Template exclusivo Dicas Blogger