sábado, 9 de janeiro de 2010

Não deve ser fácil ser presidente do Corinthians...

O Corinthians deve anunciar ainda esta semana o maior patrocínio do Futebol Brasileiro. Serão cerca de R$ 60 milhões anuais, sendo que R$ 50 millhões devem vir do grupo Hypermarcas (dono de mais de 50 empresas). Números expressivos que me fizeram pensar em como (todos) os clubes brasileiros têm dividas se o futebol realmente é um evento que traz tanto dinheiro para os cofres dos clubes.

O problema é que a maioria das pessoas imagina que um clube é diferente de uma empresa, que vive das notícias ou que tem alguma receita extra. Nada disso acontece. O clube tem contas para pagar. É só começar a fazer algumas contas como em uma empresa.

Jogadores de futebol, treinador, comissão técnica têm contratos e mesmo assim, como brasileiros, o clube é obrigado a recolher os devidos encargos referentes às remunerações. Mesmo que tenham contratos que não são CLT, existem impostos a serem pagos (bem, se os clubes recolhem ou não já é outra história).

Se imaginarmos que um clube como o Corinthians tem hoje no elenco 40 jogadores e alguns deles são estrelas (como Ronaldo e Roberto Carlos) esse patrocínio milionário já começa a ficar minguado. A remuneração anual de Ronaldo (a mídia estampa que ele ganha cerca de R$ 1,5 MM por mês) deve chegar a R$ 15 milhões e a de Roberto Carlos a R$ 5 milhões. Se colocarmos os outros 9 titulares ganhando em média R$ 100 mil mensais cada um, são mais R$ 9 milhões. Os outros jogadores, com R$ 25 mil mensais em média, mais R$ 3 milhões. Treinador, mais R$ 4 milhões. Comissão Técnica, com 15 mil mensais em média para médico, fisiologista, fisioterapeuta, nutricionista e auxiliar técnico: R$ 2 milhões.

Ou seja, somente na produção (sem contar com os outros funcionários do clube) são R$ 38 milhões. Ah, então o dinheiro dá. Não.

Um clube como o Corinthians tem uma dívida que gira em torno de R$ 100 milhões, contraídas por gestões anteriores e que vem sendo rolada e renegociada. Bem, todos sabem que nenhum banco, por mais que o gerente torça pelo timão, deixa de cobrar seus juros, que hoje giram na casa de 20 a 22% ao ano. São mais R$ 22 milhões. Exato: o valor do patrocínio.

Claro que todos esses números não vêm de fonte oficial e só foram utilizados para uma demonstração financeira para mostrar que valores podem iludir. E isso aumenta a pressão da torcida, pois os torcedores imaginam que dinheiro não é problema no clube. E que a vida de presidente do Corinthians ou de qualquer outro clube brasileiro não é fácil. Principalmente no ano do centenário.

Abraços e boa sorte a Corinthians na Libertadores!

RSS/Feed: Receba automaticamente todas os artigos deste blog.
Clique aqui para assinar nosso feed. O serviço é totalmente gratuito.

5 comentários:

JORNALISMO ANTENADO disse...

Oi Luis, em primeiro lugar só não cocnordo com o seu boa sorte ao Corinthians na Libertadores, pois meu Flamengo estará nessa briga..rsrs
Agora ,brincadeiras a parte... realmente o futebol brasileiro gera muito dinheiro, porém esse estrelismo de jorgadores recebendo salários astronomicos que fazem com que os clubes vivam endividados. A boa época do futebol arte infelizmente está distante de voltar.
Márcia Canêdo

Sissym disse...

Amigoooo! Eu adoro vc e nada entendo de futebol. Mas eu adorava o Senna! Beijos

Claudine Netto disse...

Olá amigo Luiz, você colocou muito bem as finanças de um club, realmente se gasta muito e a dívida é exorbitante. Quando uma empresa está em dificuldades se faz uma certa economia e se coloca no jornal seu imposto de renda. Os clubes deveriam fazer o mesmo para seus torcedores ficarem sabendo da verdadeira situação.

Abraços.

Ana Lucia Nicolau disse...

acho que todo patrocinio para o esporte é válido...
abs

Rosana Madjarof disse...

Luis,

Pior que ser presidente do Corinthians, é ser corinthiano... hehehehe

Melhor mesmo é ser Palmeirense, isso que é time...

Bjs.

Rosana.

Postar um comentário

  ©Antropomidia | Licença Creative Commons 3.0 | Template exclusivo Dicas Blogger