sábado, 5 de dezembro de 2009

Por que Diniz comprou as Casas Bahia?


Setenta e dois anos. Se fosse qualquer outro já teria se aposentado. Mas Abílio Diniz mais uma vez surpreendeu o mercado e fechou um Mega-negócio com os controladores das Casas Bahia, a família Klein.

Seu filho mais novo nasceu há cerca de um mês. Diz que quer dar um exemplo a esse e aos outros filhos. Que o negócio não deve parar de crescer sob o risco de ser engolido pelo mercado.

As notícias dão conta que Diniz e Michael Klein começaram a conversar há cerca de 90 dias e que as Casas Bahia valem cerca de R$ 6 bilhões. Para se entender melhor como funciona uma associação dessas, sem nenhum centavo desembolsado pelos controladores do Pão de Açúcar não é simples, mas vou tentar exemplificar.

Imagine que existam duas padarias em sua rua e um dos donos resolva que não quer ficar com o negócio e quer vender para o outro, mas o capital empregado na compra da padaria quebraria a do comprador. Assim, esse comprador faz a oferta de ficar com a padaria mas o vendedor fica seu sócio na padaria dele, claro que sem mandar em nada, mas dando seus palpites, afinal ele conhece sua freguesia. E o comprador fica com a freguesia toda da rua para trabalhar.

Nesse exemplo pego carona para dar minha opinião do por que Diniz quis a associação. A Cia. Brasileira de Distribuição, que é controladora do grupo Pão de açúcar adquiriu a Globex Utilidades S.A. há alguns meses (Lojas Ponto Frio) com a intenção de entrar forte no mercado de Eletroeletrônicos. Aprendeu que as Casas Bahia atingem classes que o Ponto Frio não consegue chegar. A marca das casas Bahia é muito mais forte e o crescimento estava estagnando. Segundo os demonstrativos da Globex, as vendas nos primeiros nove meses deste ano caíram 1,6 % em relação ao mesmo período do ano passado e o Lucro líquido caiu 2,7% no mesmo período (*).

Já há algum tempo as lojas Ponto Frio recebiam menos investimentos do grupo, cerca de 70% menor que em 2008. Os controladores decidiram buscar maior rentabilidade no negócio e o prejuízo chegou a 350 milhões em 2009 (*). Acredito que um empresário experiente como Abílio Diniz olhou esse quadro e decidiu que não poderia vencer essa guerra.

Em contrapartida, os donos das Casas Bahia passaram por um processo de desgaste muito forte com a briga pelo controle do negócio entre os dois irmãos. Além disso também a guerra com lojas como o Ponto Frio e Magazine Luisa devem ter feito os lucros das lojas caírem muito.

Assim, os Klein, além de poderem usufruir de uma cadeira de “sócio” do maior grupo de Eletroeletrônicos da América Latina, poderão também auferir dos resultados do negócio. E Abílio Diniz ficará líder em todos os negócios de varejo, desde os supermercados, eletrodomésticos, computadores e móveis. Sem dúvida, um grande negócio para ambos os lados. Resta saber se esse monopólio todo será bom para os consumidores.

(*) Informações do Site de Relações com Investidores da Globex Utilidades S.A.

Abraços a todos!

RSS/Feed: Receba automaticamente todas os artigos deste blog.
Clique aqui para assinar nosso feed. O serviço é totalmente gratuito.

16 comentários:

LUIZ GNZ disse...

Realmente LUIS PEREIRA, é isto que nos resta saber ...

Apesar de que, em resposta a comentários feitos em meu BLOG ( postei a Noticia em primeira mão, antes mesmo do GLOBO.COM, G1, que ainda por cima, colocou a FOTO DE MICHEL KLEIN, o filho, creditando-a como sendo de SAMUEL KLEIN, o PAI, o velho "SAMUCA" que construiu o império, começando com uma charretezinha em São Caetano do Sul.

Prefiro o PÃO DE AÇUCAR, empresa Nacional, nesta liderança, do que o CARREFOUR, multi nacional Francesa que mantem fortes laços, ligações, com a Máfia Corsa (dizem até, as más linguas, em terras Francesas, que o C estilizado do CARREFOUR é uma alusão, mensagem subliminar, em homenagem aos seus "Patrocinadores e Financiadores" tão amados e queridos).

Vamos esperar para ver ....

EXCELENTE POST, parabéns, já o estou seguindo inclusive.

Abraços e fique na PAZ.

LUIZ GNZ

Alphaville - Barueri - SP - Brasil

SeuLuiz disse...

Uma boa explicação, principalmente para mim que não tinha entendido direito esta negociação.

Abraços

Francisco Castro disse...

Olá!

As informações foram bastante claras e ajudaram a entender o que se passa pelo mundo corporativo dessa organizações empresariais.

Abraços

Francisco Castro

Claudine Ribeiro G. Netto disse...

Olá amigo Luis, realmente também quero saber, mas acho que não vai, pois só um com todo este monopólio poderá salgar um pouco os preços dos produtos para tentar tirar o prejuízo. Muito inteligente Abílio Diniz e com uma visão de mercado impressionante.

Um abraço.

Iúri disse...

Olá Luis,

Sem dúvida o grupo de Abílio Diniz se tornou muito mais forte com a compra das Casas Bahia. Porém, ainda há grandes redes de eletroeletrônicos, que com certeza não permitirão (leia-se: terão menores preços para não perder mercado) que o preço suba muito, tipo o Submarino.com e Ricardo Eletro.

Vamos ver as cenas dos próximos capítulos, para ver o que vai acontecer.

Abraços.

Cris Travassos disse...

Sem dúvida foi um negócio lucrativo para ambas as partes, mas não acredito que haja mudanças para os consumidores finais.

Beijocas

manupink disse...

OI, GOSTEI DO BLOG, OS ASSUNTOS ATUAIS Q TODOS NÓS DEVEMOS ESTAR ATENTO PARA UMA BOA COMINICAÇÃO!
ESTOU T SEGUINDO, T ESPERO NO MEU BLOG.

AH! CONHECI O SEU BLOG NO TWITTER, ONDE POSTARAM SOBRE SUA MATERIA DO COLLOR, ADD SEU LINK!!!

ADOREI!

BJOKAS, MANUPINK!

JORNALISMO ANTENADO disse...

Oi Luiz, demorei mais cheguei..rs Esse finds estive fora da internet.Bom comentando sobre essa fusão, quando ouvi no Jornal da Globo sobre esse assunto muito me surpreendeu inicialmente , porque ano passado estudei sobre o Caso Casas Bahia na faculdade,e toda sua hegemonia nas classes C,D e E da sociedade . lendo agora o seu post, pude compreender a situação, claro que não imaginava que a familia Klein iria perder dinheiro.Gosei da indicação viu! Bem elucidatovo o post. Beijo

Anônimo disse...

pro consumidor final resta saber se eles agora vão ditar as regras no mercado, e impor preços aos fabricantes, e com isso mandar no preço final do jeito que bem entenderem.

Renato Tarantelli disse...

Mega monopólio! Cadê a livre concorrência?

Anônimo disse...

Será que ele me adotaria ?

DANIEL disse...

Está ficando bom nisso hein chefe!!! Boa explicação, em épocas de fusão de diversas
empresas como vem ocorrendo é bom que as
pessoas entendam o que está acontecendo.
Abs
Daniel F

Anônimo disse...

sou um "colaborador da casas bahia" assim são ( ou eram..) chamados os funcionarios, agora estou curioso para saber como é que nós "colaboradores" ficamos nesta fusão; Interessante nesta istoria é que o "colaborador" não é importante. Seja o que DEUS quiser né!!?? Um abraço.

Anônimo disse...

Caro Anônimo,

Acredito que seu status de "Colaborador" se manterá e poderá crescer muito, pois Abilio Diniz tem uma visão mais abrangente e valoriza mais seu Capital Humano, acredito nisso!

Anônimo disse...

Parabens ao Grupo Pão de Açucar
Eu gostei muito porque eu admiro o Abilio Diniz.
É um homem de negócios.
Um abraço
Antonio Carlos

Postar um comentário

  ©Antropomidia | Licença Creative Commons 3.0 | Template exclusivo Dicas Blogger