quarta-feira, 28 de outubro de 2009

DJ Big Boy e os anos 70


Sempre achei o "saudosismo" coisa de gente mais velha, que não está feliz na idade que vive e sempre volta ao passado como forma de renunciar o presente.

Diferente disto é a preservação e divulgação dos hábitos, costumes, pessoas e fatos que marcaram uma época em nossas vidas. Uma forma de expressão cultural que muitas vezes nos remete à um passado que parece vivo em nossas mentes e corações. Isto é muito comum quando vários amigos se juntam para conversar e retirar do fundo do baú, recordações que nos obrigam à um bom exercício de memória. Qual o melhor time de futebol daquele ano? E o melhor atacante? A seleção ideal seria a melhor do mundo?

Certa noite, eu e alguns amigos conversavamos sobre música dos anos 70. Um deles me perguntou qual delas havia marcado aquela fase de minha vida. E eu respondi: "Todas". Ele retrucou:"Como assim, todas?" Eu emendei: "Todas aquelas que tocavam no programa do Big Boy na Rádio Mundial". Naquele início dos anos 70, na cidade de Divinópolis no interior de Minas, eu e mais dois amigos sentavamos ao lado da velha Variant de meu pai, abriamos a porta e ligavamos o rádio Jandal preto na faixa AM 860 às 20 horas. Era todo o sábado e lá estava ele com sua inconfundível voz: "ZYJ 459 Rádio Mundial, Rio de Janeiro, Brasil". E eternizou o refrão : "A Mundial é show musical".



Big Boy foi o precursor dos DJ's brasileiros. Ele e seu inseparável companheiro Ademir, animaram muitas pistas de dança em todo o Brasil. Com seus LP's intitulados "Baile da Pesada", eles traziam as melhores músicas das melhores boites internacionais. Era impossível ficar parado ao som stereo e alta fidelidade daqueles discos. E até hoje, ensaiar alguns passinhos de discoteca, quando se ouve aquelas músicas de sábado a noite. Grande Big Boy.


escrito por Marcos Ribeiro

RSS/Feed: Receba automaticamente todas os artigos deste blog.
Clique aqui para assinar nosso feed. O serviço é totalmente gratuito.

5 comentários:

Claudinha disse...

Meu querido! Se saudosismo é coisa de gente velha, benvindo à velhice! Lembrar as coisas boas de nosso passado é maravilhoso, só não podemos ficar presos a elas sem viver o presente.
Bjão!

nettoblogspot disse...

Não me acho velha,sou jóvem, mas adoro relembrar com amigos(as) uma das melhores fases da nossa vida, adoro as músicas dos anos 60 e 70, apesar que ter feito 15 anos em 79, a minha adolescência foi com músicas desta época, as quais com certeza não poderiam ser outras.

Um abraço de sua amiga Claudine Netto.

Obs: amigo tem um selinho de blog do bem para você, passa para pegar.

S. Levy Lima disse...

concordo com o que diz a Claudinha.
eu sou saudosista sim, admito, mas vivo no hoje, e não no ontem.

abçs

Anônimo disse...

Eu sou Saudosista .... Tempo bom que naum volta maisss ... (big Boy Diadema - Piraporinha)

Tereza

Anônimo disse...

Viva a tecnologia que nos permite rever coisas maravilhosas do passado que deixaram muitas saudades. E eu consegui vários discos do Big Boy em CD e Mp3. Realmente é o verdadeiro barato let's go crazy people!!!!
Jorge Douglas RJ Nova Iguaçu
douglasjorge38@ig.com.br

Postar um comentário

  ©Antropomidia | Licença Creative Commons 3.0 | Template exclusivo Dicas Blogger