sábado, 26 de setembro de 2009

O bode



Vocês já ouviram a expressão “colocar o bode na sala”? Com certeza algumas pessoas não sabem bem o que é isso. Refere-se a uma pessoa que antes de procurar uma solução para um problema existente já se lamenta e diz que é difícil, que tal trabalho não vai dar certo e de certa forma valoriza este “problema” até que venha com uma solução mágica que lhe dá visibilidade.

Esses espécimes povoam todo tipo de lugar, mas o comportamento citado acima se acentua mais no mundo corporativo. Para quem olha de fora, ou depois dos acontecimentos, certas situações chegam a ser hilárias.

Mal o gerente ou diretor começa a falar sobre um desafio e o ouvinte começa a torcer o rosto, mostrando sua indignação e já preparando o diretor para o trabalho “imenso” que vai dar. Neste momento é o Bode chegando, batendo à porta da casa, vestido de terno e gravata e se convidando a entrar.

Depois de ouvir mais alguns comentários sobre o trabalho, esta pessoa, por mais “boazinha” que seja ou pareça ser, se inflama mais ainda. Diz frases do tipo “esses caras que estão pedindo isso não sabem o trabalho que dá” ou “a gente precisa conversar, não é bem assim”, mas já com uma postura que mostra ao seu superior hierárquico que o trabalho é quase impossível de ser feito. A esta hora da conversa o Bode já está na sala, livre, leve e solto, sorrindo e feliz. Ninguém mais tira ele dali. Para seu superior, a cena é muito parecida com o inferno.

Em seguida, este prestativo funcionário sai da reunião com o chefe dizendo que “vai ver o que pode fazer”, “que vai ser difícil e retorna com uma resposta”. Volta ou liga para o superior algumas horas depois e faz o discurso da venda da solução. “Foi super difícil mas conseguimos”, “vai demorar mas consegui” e assim, ele resgata seu superior do inferno. Claro que recebe os parabéns, afinal o momento era tão desesperador que o Bode já estava jantando, tomando banho e dormindo em sua casa, utilizando até o aparelho de barbear do chefe para cuidar da barbicha.

O que acontece na maioria dos casos é que o superior hierárquico se enche, vai preparando alguém para substituir o funcionário. Em geral os superiores demoram a enxergar as diferenças entre problemas reais ou quando o Bode entra na sala. Observe se seu funcionário te interrompe muito enquanto você está explicando um trabalho, ou tente simular que vai pedir o trabalho a outro ou desistir mesmo de fazer o trabalho. O Bode geralmente se entrega nessas horas.

E se você é um funcionário mais parecido com um pastor, se cuide. No final da história, o maior prejudicado é você. Vai ter que viver de sua coleção de bodes. Atue e apareça pelos seus diferenciais e competências, jamais seja confundido com aquela pessoa que vê o “copo meio vazio”. Estude psicologia diferencial (ou psicologia da personalidade, psicologia individual, Adler, Stern), ela ajuda a entender em você os mecanismos que te fazem a ter um comportamento tão defensivo.

Para entender mais Wiki:
http://pt.wikipedia.org/wiki/Psicologia_da_personalidade

Abraços
RSS/Feed: Receba automaticamente todas os artigos deste blog.
Clique aqui para assinar nosso feed. O serviço é totalmente gratuito.

4 comentários:

Anônimo disse...

Curioso...acho que já ouvi essa história de um colega de trabalho!!!
Mas é um grande problema mesmo no mundo corporativo, e que deve ser combatido ou evitado, sempre!
Abçs

PS. Finalmente entrei!!! Cintia

Ro Morena disse...

E são esses mesmos "bodes" que têm reações explosivas quando um colega recebe uma promoção ou aumento de salário....saem girtando "mas eu faço mais que ele, como ele teve aumento e eu não?"
amei.....

Claudine Ribeiro G. Netto disse...

Adorei, realmente tem pessoas que agem assim, e além disso querem ser mais que outros colegas de trabalho, estas pessoas não são felizes, pois não sabem aproveitar as oportunidades que estão na cara deles.

Um abraço.

S. Levy Lima disse...

sim, há pessoas tal e qual assim. colocam o tal "bode" nessa e nas salas dos outros...

coitado do bode que sempre paga o mico...

abçs

Postar um comentário

  ©Antropomidia | Licença Creative Commons 3.0 | Template exclusivo Dicas Blogger