domingo, 23 de agosto de 2009

Motivação x Auto-Motivação

Aos domingos muitos de vocês devem se perguntar por que não estão motivados para o trabalho no dia seguinte. Não querem nem ver a cara do chefe, rezam para o telefone não tocar assim que chegarem ao escritório, lembram de problemas que tiveram durante a semana que passou, enfim, é só tocar a música do Fantástico que a depressão aparece. Conclusão: Não estou motivado. Claro, nossa cabeça sempre joga a nosso favor, sempre joga a favor de nossa acomodação e e que a culpa é da vida, dessa empresa que não sabe como tratar seus funcionários, desse trânsito horrível, tantas reclamações e justificativas que aparecem em seguida pois nosso cérebro funciona assim. Daí surgem teorias do "por que" a empresa não nos motiva, não nos dá cursos ou preferiram dar o curso para sua colega ao lado que tem "outros predicados" que você não tem.
A empresa não tem obrigação nenhuma de motivar você. Assim como sua esposa ou seu marido não são responsáveis pela sua felicidade, a motivação é algo que só tem um responsável: Você. Claro, você leu e já ficou revoltado com essa palavra, "quer dizer que além daquele chefe imbecil ainda tenho que chegar assobiando nas segundas-feiras, com sorrisos para todos, trabalhar o dobro e dizer amém para a promoção do meu par?" Não, não é isso.
Todos nós devemos conhecer esse sujeito chamado Id a que Freud diz residir em nossas mentes. Ele é responsável pelos impulsos que temos e um bom exemplo é a negação. Negar faz parte do ser humano quando contrariado e o domínio dessa negação faz todos nós mais felizes. É a tal da consciência, reflexões que devemos fazer para que esses impulsos não tomem conta da gente (e acabemos de vez com nossas carreiras). E de onde vem a motivação?
Já perceberam que quando estamos investindo em algo (não estou falando do lado financeiro) nos preocupamos menos com as pessoas que foram promovidas ao nosso lado ou com a impaciência do chefe? Investir em um bom curso de inglês, uma pós, um MBA ou simplesmente aprender a jogar golfe. Não tem a ver com "desestressar". Tem a ver com você estar desviando o foco do seu Id, esse exercício de investimento pessoal nos faz sentir poderosos, ignorando as coisas que estão acontecendo ao redor.
Futuras promoções podem até advir desse investimento, mas também da forma como os outros vão te olhar, principalmente o seu chefe ou a hierarquia dele. O sentimento de injustiça desaparece e se a empresa em que você está não te reconhece assim mesmo, essa bagagem adquirida (inclusive um esporte como o golfe) te gabaritará para novos desafios em outros lugares. Isso é Auto-Motivação.
Portanto, são 2 coisas: Ter consciência das coisas que giram a seu redor não agindo por impulso e investimento em sua carreira. E não esqueça também de evitar as rodinhas de fofocas. Acho que isso não vale nem a pena ser comentado.


Abraços
RSS/Feed: Receba automaticamente todas os artigos deste blog.
Clique aqui para assinar nosso feed. O serviço é totalmente gratuito.

0 comentários:

Postar um comentário

  ©Antropomidia | Licença Creative Commons 3.0 | Template exclusivo Dicas Blogger